Feriados no ano podem gerar prejuízo acima dos R$ 4 bilhões à indústria paranaense, estima Fiep

Serão 12 paralisações ao longo de 2017; sugestão para o setor produtivo é antecipar ou prorrogar interrupções que caírem em terças e quintas-feiras

O Brasil terá 12 feriados ao longo de 2017, entre nacionais e pontos facultativos. Com as paralisações, as perdas da indústria paranaense devem chegar a R$ 3,185 bilhões. Essa é a estimativa feita pela Federação das Indústrias do Estado do Paraná (Fiep), tomando por base os estudos realizados pela Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan) e pela Mercer Consultoria.

Na avaliação da entidade paranaense, o cálculo da consultoria, de 12 dias de paralisação ao longo do ano, desconsidera o hábito brasileiro de estender os dias de folga, sobretudo quando o feriado cai na terça ou na quinta-feira, citando o Carnaval como um exemplo. E que, ao considerar que serão quatro feriados em quintas-feiras — deixando ociosas as sextas-feiras — a perda pode ser ainda maior (se não houver um plano de compensação de horas de trabalho), chegando a 6,02% do PIB industrial, ou R$ 4,343 bilhões — os quatro dias a mais de interrupção podem representar uma perda de R$ 1,158 bilhão.

A sugestão da entidade para tentar atenuar os impactos das paradas geradas pelas emendas nos feriados prolongados é que os feriados que ocorrerem nas terças e quintas sejam antecipados ou postergados para o dia seguinte. A Fiep entende ser esta uma maneira de diminuir os custos de gestão dos programas de compensação de horas de trabalho.

“Em um período de crise como o que vivemos atualmente, que afeta principalmente o desempenho da indústria e resulta no fechamento de postos de trabalho em diversos setores, essa situação se torna ainda mais grave”, afirma o presidente da Fiep, Edson Campagnolo. “O momento é oportuno para se discutir com seriedade e maturidade a possibilidade de transferência de alguns feriados, com o objetivo de minorar perdas que afetam não somente as indústrias, mas toda a sociedade brasileira”, completa.

Na ponta do lápis

Ao citar o estudo da Firjan – que estima em R$ 66,8 bilhões os prejuízos para a indústria brasileira por causa dos dias parados em 2017 –, a Fiep pondera que interrupções da atividade produtiva industrial devido aos feriados representam custo econômico elevado para o segmento. Isso porque paralisa a maioria das fábricas ou aumenta os custos das que têm processos contínuos de produção, como as dos setores siderúrgico e petrolífero, entre outros.

O levantamento leva em conta que o Brasil terá nove feriados nacionais e ainda cinco pontos facultativos em 2017. Destaca ainda que três desses pontos facultativos historicamente acabam se convertendo em feriados nacionais (segunda e terça-feira de Carnaval e Corpus Christi). Assim, chega ao total de 12 feriados no ano, sem contar os feriados estaduais e municipais.

Ainda de acordo com a análise da Fiep, dos 12 dias de paralisações, 11 caem em dias de semana, o que garante um feriado a mais que o ano passado. O impacto dessas interrupções, tanto em nível estadual quanto nacional, representa perda de 4,42% do PIB Industrial, informa a federação.

*Esse texto foi retirado do site Agencia FIEP e possui todos seus direitos reservados ao autor.